Assine nosso Blog sobre Marketing Digital
Clique no botão ao lado para realizar sua assinatura agora...

INOVAÇÃO ABERTA: POR QUE É IMPORTANTE?

Saiba a importância da Inovação aberta para as Empresas e Sociedade

INOVAÇÃO ABERTA: POR QUE É IMPORTANTE?
Catiane Zanotto
Catiane Zanotto
Soluções
17/11/2020 08:11h
134 views
8 minutos
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Linkedin
  • Compartilhar por E-mail
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

O conceito de inovação aberta ou open innovation foi proposto por Chesbrough (2003) como aquele em que se utiliza ideias e tecnologias de dentro e fora das empresas. Diferentemente da inovação fechada, que considera que toda a criação e desenvolvimento de tecnologia reside dentro da própria organização, a inovação aberta faz com que o fluxo de informação e conhecimento transite entre os limites da empresa e o mercado. Nesse sentido, há uma redefinição das fronteiras internas e externas por meio de uma rede de atores trabalhando em prol da inovação.

Essa perspectiva encontra respaldo no fato de que as competências internas relacionadas à inovação não são suficientes, e principalmente porque, isoladamente, leva-se um tempo longo para inovar, o que é incompatível com a realidade atual do mercado.

Desse modo, as mudanças tecnológicas exigem maior mobilidade de capital, conhecimento e trabalho no menor tempo possível, impossibilitando que as empresas utilizem somente recursos próprios.

Assim, a cooperação é essencial para a inovação aberta, pois conforme aponta Vanhaverbeke (2008) esta é, por definição, uma rede de organizações. Nesse sentido, o relacionamento deve criar laços interorganizacionais duradouros entre os diferentes stakeholders para estimular acordos de criação e comercialização de novos produtos, serviços e mercados.

Esse conceito representa uma verdadeira mudança no mindset de muitos empreendedores. Afinal, grandes negócios muitas vezes preferem guardar suas ideias como um segredo. Porém, a inovação aberta permite gerar valor à empresa por meio do compartilhamento de conhecimento.

Vale destacar que essa estratégia é benéfica para todas as partes. Principalmente em tempos de pandemia, onde a colaboração é extremamente importante. Resumindo, trata-se de uma forma de inovação mais descentralizada e disruptiva. O foco é integrar diversas partes, para gerar valor à empresa e à sociedade.

Quais os tipos de Inovação Aberta?

Existem diversas estratégias da inovação aberta que a sua empresa pode adotar. Abaixo separamos as principais.

Inovação Incremental: Conexão com Startups

Conectar-se com Startups é uma das melhores formas de gerar inovação aberta. Isso pode ser muito eficaz para permitir a inovação incremental. Ou seja, melhorar processos e produtos do seu negócio. Por exemplo, é possível contratar um CRM ou um serviço de ponto online, a fim de aprimorar os resultados do empreendimento.

O primeiro passo é você levantar internamente quais são os problemas, necessidades e dores da sua empresa. Para isso, você pode coletar opiniões tanto da sua equipe estratégica quanto operacional.

Então, é hora de abrir espaço para as Startups. Nesse caso, há basicamente duas opções. A sua empresa pode criar um programa para que Startups se inscrevam e trabalhem juntas em uma solução. Ou, você pode contratar ativamente uma Startup para resolver seu problema. 

Inovação Disruptiva: Spin-Off do Negócio

Outro tipo de inovação aberta é apostar na inovação disruptiva. Essa estratégia consiste em romper com um padrão e criar uma forma totalmente nova de fazer algo. Isso pode ser muito vantajoso se aplicado à uma spin-off.

A spin-off permite que você atenda novos nichos de mercado e públicos, sem comprometer a sua renda já consolidada. Para investir nisso, é importante escolher um modelo de negócio digital e escalável, como uma Startup ou marketplace. Desse modo, o potencial de sucesso é bem maior.

Incorporando a Inovação: Joint Venture ou Aquisição de Startups

Outro tipo de inovação aberta é incorporar a inovação. Por exemplo, você pode comprar uma Startup do seu nicho de mercado. Dessa maneira, ela fará parte dos seus produtos e soluções e poderá agregar receita ao seu negócio.

Além disso, é possível criar uma Joint Venture. Isto é, unir-se a outra empresa já existe, a fim de criar um novo negócio ou produto.

Definir os Objetivos e Metas da Inovação Aberta

Para que a inovação aberta realmente dê certo, é necessário ter objetivos e metas claros. Assim, o primeiro passo é elencar os problemas, as oportunidades ou as tarefas na sua empresa que podem ser automatizadas ou melhoradas. Conte com o auxílio dos seus colaboradores, clientes e fornecedores para dar essas sugestões.

Então, é importante estabelecer objetivos estratégicos. Um exemplo é: aumentar a receita do negócio ou melhorar um processo interno.

Ainda, não esqueça de definir suas metas. Para isso, um método que pode te ajudar é metas SMART. Ele consiste em ter metas específicas, mensuráveis, atingíveis, relevantes e temporais.

Por exemplo, aumentar o faturamento em 50%, em um ano, criando uma spin-off no seu nicho para atender um público mais digital. Ou, melhorar em 70% a produtividade do RH da empresa, contratando uma Startup com solução de ponto online.

Exemplos de Inovação Aberta

Existem muitos exemplos de grandes empresas que investiram em inovação aberta, para expandir seus negócios. Confira abaixo alguns desses casos de sucesso.

Cubo: Co-working do Itaú

O Cubo Itaú é um espaço de inovação, que funciona de forma semelhante a uma incubadora. O centro de empreendedorismo tecnológico conta com 125 startups, que já faturaram R$540 milhões até agosto de 2019. As startups vão além do banco, e se conectam com grandes empresas como Coca-Cola, Grupo Pão de Açúcar, Renault e TIM.

Youse: Caixa Seguradora

A Youse é uma plataforma de seguros totalmente online da Caixa Econômica. Trata-se de uma spin-off da marca. Ou seja, um negócio diferenciado para atender um novo público. Com a Youse, a Caixa visa atingir o público mais jovem, focado no digital.

E-wally: Banco Carrefour

A E-wally é uma fintech que foi adquirida pelo Banco Carrefour. A empresa oferece um cartão e conta digital sem consulta ao SPC e Serasa. Com isso, o Carrefour percebeu uma oportunidade de negócio e decidiu comprar a startup para poder oferecer tal solução aos clientes.

Conclusão

A inovação aberta é uma estratégia de conexão entre empresas e o ambiente externo. O objetivo é gerar inovação e agregar valor à empresa. Hoje, isso é fundamental para qualquer negócio se manter competitivo.

Muitas são as formas de aplicar a inovação aberta, desde conexão com Startups até a criação de novos empreendimentos.

Quer inovar o seu negócio por meio da Inovação aberta? Agende já uma consultoria com a equipe da ZEN AGÊNCIA WEB.

ME CHAMA NO WHATS!

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Linkedin
  • Compartilhar por E-mail
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Deixe seu comentário aqui: